Escolas de Ensino Fundamental passarão a ter lousas digitais em Campinas

Nova tecnologia permitirá conteúdos pedagógicos expostos de forma mais moderna e interativa

Ao retornarem às aulas presenciais, os 18,6 mil alunos do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA) de Campinas passarão a receber os conteúdos pedagógicos de uma forma mais moderna e interativa. As 45 unidades de Ensino Fundamental, que contam com 570 salas de aula, vão trocar as conhecidas lousas por projetores digitais.

A iniciativa integra o programa “Escola Bem Digital”, que tem como objetivo ampliar e qualificar a oferta de tecnologia educacional e de conteúdo, permitindo uma diversidade de linguagens multimídia.

“Acreditamos que isso tornará as aulas mais interessantes e dinâmicas. Se a escola não acompanha a tecnologia, acaba se tornando pouco interessante para essa nova geração. Com mais interatividade fica difícil o aluno não querer participar das aulas”, explicou Alexandre Tadeu, assessor de Tecnologia da Educação, da Secretaria Municipal de Educação de Campinas, na tarde desta segunda-feira, dia 14 de setembro, durante transmissão pelas redes sociais, realizada pelo prefeito Jonas Donizette.

Inicialmente serão contemplados com os novos recursos os estudantes do 1º aos 9º anos e os da EJA. Mas o dispositivo deve chegar em breve à Educação Infantil. Os projetores já foram instalados em quatro escolas e a previsão é de que, até o final deste ano, todas as salas de aula sejam digitais.

 

Ferramentas

As lousas das escolas são novas e estão sendo adaptadas para que sejam usadas junto com o projetor. O equipamento oferece uma série de recursos aos professores, tais como apresentar imagens, trechos de filmes e documentários, além de exercícios e jogos interativos.

O equipamento também permite ao professor usar uma ‘caneta’ ou o próprio dedo para escrever o conteúdo na lousa digital. Esse recurso salva as anotações que o professor fez na lousa e manda direto para o e-mail dos alunos, que passam a contar, a partir de agora, com um endereço eletrônico ilimitado. Todo o conteúdo é salvo no drive e fica disponibilizado para a sala de aula específica dos alunos.

Os professores terão uma capacitação para utilização desse recurso, o que só não ocorreu ainda por conta da pandemia.